Dados divulgados esta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que Osasco é o único município que não é capital que em 2016 figurou entre os seis com maiores participações no PIB (Produto Interno Brasileiro). A cidade foi da 16ª para a sexta posição entre 2002 e 2016, principalmente devido às atividades de comércio, serviços de informação e atividades financeiras.

Com 1,2% em participação, a cidade ficou atrás apenas de outras cinco que concentravam cerca de 25% do PIB nacional: São Paulo (SP), com 11,0%, Rio de Janeiro (RJ), com 5,3%, Brasília (DF), com 3,8%, Belo Horizonte (MG), com 1,4%, e Curitiba (PR), com 1,3%.

Em razão do salto no ranking, Osasco ultrapassou cidades como Porto Alegre e Manaus, que ocupavam a sexta e a sétima posições, respectivamente, em 2015.

Os números apontam ainda que, entre 2002 e 2016, a participação conjunta dos municípios do Semiárido no PIB nacional passou de 4,5% para 5,1%, e a dos municípios que formam a Amazônia Legal foi de 6,9% para 8,6%.

Esta é a primeira vez que o IBGE agrega análise geográfica ao PIB dos municípios, permitindo a análise de diferentes recortes e de suas interações econômicas. Os diversos mapas desse estudo estão disponíveis na Plataforma Geográfica Interativa do IBGE.

Em 2016, entre os 5.570 municípios do país, os 1.456 que eram predominantemente urbanos responderam por 87,5% do PIB brasileiro. No Sudeste, os 625 municípios com esta caraterística responderam por metade do PIB nacional.